8 de setembro de 2015

Google Chrome deixa de permitir o applet do Java!!!

A Google já tinha anunciado que em breve deixaria de dar suporte a plug-ins NPAPI no Google Chrome! Na verdade, há uns meses atrás, numa das últimas actualizações, o plg-in NPAPI passou a implicar activação manual, o que criou grandes dificuldades aos utilizadores - tão habituados à "excelência" e velocidade deste browser que, nos últimos anos, conquistou a preferência dos Internautas.


Talvez com esta medida, a Google esteja a assumir a sua "sentença de morte" na utilização dos browsers e o Microsoft EDGE*** - actual navegador com a chancela da Microsoft - poderá vir a ser a "próxima moda".

Na verdade, alguns testes de velocidade aos mais recentes browsers anteveem que este novo browser atinja velocidades invejáveis... a ver vamos!

Assim, caros colegas e amigos, está na hora de SUBSTITUIR O GOOGLE CHROME na utilização do Citius e optar por um browser alternativo.

Vejam as instruções disponibilizadas pelo Departamento Informático da Ordem dos Advogados AQUI!

Nota final e crítica, como não pode deixar de ser, ao Ministério da Justiça, a quem se impõe, s.m.o., o desenvolvimento e disponibilização de ferramentas que sejam compatíveis e operacionais com os diversos operativos. Impõe-se (e impunha-se à muito!) que o plug-in usado no Citius e que recorre à tecnologia JAVA (cujas brechas de segurança são sobejamente apregoadas pelos experts) fosse substituído por outra tecnologia, mais amiga e mais segura para os utilizadores.

*** Tomem nota ao comentário deixado a esta publicação: aparentemente o Microsoft Edge também não aceita o plug-in... (procuro soluções para esta questão e espero em breve poder dar mais informações sobre isto)

3 comentários:

Vítor Briga Rei disse...

Ao que tentei, o edge no windows 10 também não funciona para envio de peças, tem mesmo de ser firefox, safari ou Internet explorer...

Octávio disse...

meu caro amigo Rui, tenho seguido a novela chrome desde as primeiras dificuldades e não vejo razão para tanto desespero.

o chrome não é assim nada de especial, uso-o porque tendo uma conta gmail e a associação de serviços dá jeito e não dá engasgos por não ser da "marca".

sempre usei produtos windows, e o IE nunca me deixou atrapalhado e ainda tenho sempre o firefox como browser de emergência.

à um ano atrás comprei um portatil em segunda mão, meti um ubuntu (distro linux) e aqui vai disto.

uso o chrome ou chromium e o firefox.

problemas, que por acaso são os mesmos em ambiente windows, o chrome tem a mesma má relação com o Citius, no entanto dá-se com os serviços do automovel online, principalmente na opção imprimir, porque de resto o IE não tem problemas (modo de compatibilidade minimiza uma carrada de nervos).

o firefox é um tipo porreiro, dá-se bem com tudo e com todos, aceita o java, assim, tanto em linux como em windows às mil maravilhas posso fazer tudo em qualquer lado com um sorriso e a dizer que open source é uma maravilha.

de facto, tenho visto muitos colegas presos ao chrome tal como amigos e conhecidos e quando se fala noutro browser, e eles há como se fossem ofertas promocionais num supermercado, olham-nos como se uma blasfémia tivesse sido gritada.

falta no entanto chamar a atenção para um pequeno detalhe que escapa a muitos, mas que por um pequeno problema numa mensagem de erro no meu certificado digital à uns certificados atrás, passei a ter comigo uma série de certificados disponibilizados pelo departamento informático da OA e pelo departamento informático do Estado (faltando melhor nome neste momento), esse grupo de certificados depois de instalados permite-me navegar em qualquer browser, não que eu navegue em muitos mas pelo menos firefox (vezes windows e ubuntu) e chrome (vezes windows e ubuntu) e ainda (parece um concurso dos idos tempos que era um puto novo sem preocupações) o Internet explorer com a vista de compatibilidade activa, pelo menos, para o citius.

enfim, acho que, muitos colega, deviam voltar a fazer um pequeno refresh informático para ficarem descansados quanto às várias ofertas que existem no universo informático :)

Rui Maurício disse...

Caro Octávio, não se trata de questões de desespero, mas sim de "transversabilidade" do Citius e de outras ferramentas aos vários browsers.

A verdade é que nos últimos anos muitos utilizadores habituaram-se a utilizar como browser predefinido o Google Chrome. Esta notícia não foi/é uma boa notícia.

Mas acima de tudo deve fazer reflectir os responsáveis pela política tecnológica para a Justiça e garantir-se o uso de ferramentas de programação "universais".